Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: abril 2020

Simone mergulha de cabeça nas lives e curte contato com os fãs

simone lives 400x

Por Fabian Chacur

No dia 12 deste mês, Simone estreou no cenário das lives. A experiência foi tão agradável para a Cigarra que ela resolveu tornar esse contato direto com os fãs uma espécie de evento semanal durante a quarentena gerada pelo combate ao novo coronavírus. A cantora baiana já anunciou uma nova para o próximo domingo (3/5) a partir das 18h, e as subsequentes devem ocorrer no mesmo dia da semana e hora.

“Tem sido uma experiência muito diferente pra mim produzir e seguir realizando essas lives, cantando, lendo as mensagens, buscando as músicas. Independentemente desse tempo triste, de tantas perdas, conectar com o mundo dessa maneira está sendo uma experiência intensa”, relata Simone em texto enviado à imprensa.

Ela pretende manter o formato do qual tem se valido, que a mostra ou no melhor estilo violão e voz, ou sendo acompanhada por bases pré-gravadas preparadas e enviadas por músicos com os quais a estrela baiana já trabalhou em ocasiões anteriores. Entre uma interpretação e outra, temos causos e bate-papo virtual com os fãs, sendo que sugestões e pedidos podem ser feitos através dos perfis da artista nas redes sociais digitais.

Como profissional séria que sempre foi, ela está se preparando com afinco para as próximas transmissões.”Estou levantando repertório novo pra as lives, encomendando bases, conversando com músicos, revisitando meu próprio repertório, dá trabalho!”, relata a intérprete de O Que Será, Face a Face e tantos outros hits marcantes na história da nossa música popula brasileira.

As transmissões estão sendo feitas a partir do perfil no Instagram @simoneoficial .

Veja trechos de uma live de Simone:

The Rolling Stones a mil por hora mesmo durante uma pandemia

the rolling stones-400x

Por Fabian Chacur

Para uma banda com inacreditáveis 58 anos de vida, os Rolling Stones estão esbanjando energia. Após sua marcante participação no festival virtual One World Together At Home no último dia 18, no qual fizeram uma inesquecível performance com o clássico You Can’t Always Get What You Want (veja aqui), a banda disponibilizou nesta quinta (23) o clipe de uma canção inédita. Das boas, por sinal.

Trata-se de Living in a Ghost Town. A música foi composta e teve suas bases gravadas em 2019, mas Mick Jagger e sua turma alteraram a letra e a finalizaram no isolamento, de forma remota ou coisa que o valha. O clipe mescla cenas do quarteto em estúdio registradas em preto e branco mescladas com outras coloridas flagradas nas cidades vazias devido à quarentena gerada pelo novo coronavírus, algumas delas aceleradas, com belo resultado.

A letra traz como principais versos “I’m a ghost, living in a ghost town” (sou um fantasma vivendo em uma cidade fantasma, em tradução livre), refletindo de forma crua o sentimento das pessoas nesses dias tão estranhos e irreais que estamos vivenciando nessas semanas recheadas de distopia e surrealismo do mal. Com levada em andamento médio (nem balada, nem acelerada) e em tom menor, traz eco de canções como Miss You e Harlem Shuffle, com direito a um solo de gaita por parte de Mick Jagger (cantando melhor do que nunca).

Trata-se da primeira faixa inédita da banda desde 2012, quando lançaram a coletânea Grrr!, na qual incluíram as então novas Doom And Gloom e One More Shot. O último trabalho só de inéditas é A Bigger Band (2005), enquanto o mais recente é o álbum de covers Blue & Lonesome (2016).

Os Stones deveriam iniciar no dia 5 de maio sua turnê No Filter 2020, que se estenderia até o dia 9 de julho e passaria pelos EUA e Canadá, com prováveis datas por outros países na sequência. Os shows foram adiados por causa da pandemia, ainda sem nova agenda divulgada. A banda também estava preparando um novo álbum, cujo lançamento também ainda não está devidamente programado. Mas a amostra entusiasma.

Living in a Ghost Town (clipe)- The Rolling Stones:

Skank e Roberta Campos lançam Simplesmente, single em parceria

roberta campos samuel rosa-400x

Por Fabian Chacur

Em novembro de 2019, foi anunciado o fim do grupo Skank, o que ocorreria após uma turnê celebrando os 30 anos de carreira da banda mineira. A ideia era também lançar uma coletânea com seus grandes hits e uma música inédita. Os shows estão no freezer, digamos assim, devido à pandemia do novo coronavírus. Mas, ao menos, a nova canção acaba de ser disponibilizada nas plataformas digitais. E não se trata de qualquer musiquinha.

Simplesmente reativa a parceria entre Samuel Rosa, cantor e guitarrista da banda, com o saxofonista e letrista mineiro Chico Amaral, uma dobradinha afinada que rendeu ao Skank hits massivos e marcantes como Te Ver, Garota Nacional, Vou Deixar, Tão Seu e Pacato Cidadão, entre muitos outros.

Esta bela e inspirada balada folk traz como cereja do bolo a participação mais do que especial da cantora e compositora Roberta Campos, cuja bela voz se encaixou feito luva na melodia de Simplesmente. Tipo da música que, se de fato se tornar a última dessa fase do Skank, será equivalente a uma despedida das mais dignas de uma banda que marcou a história do pop-rock brasileiro.

Simplesmente (clipe)- Skank e Roberta Campos:

Bob Dylan lança a introspectiva e bela balada I Contain Multitudes

Bob Dylan Performa at Hyde Park - London

Por Fabian Chacur

Os fãs de Bob Dylan com saudades de canções inéditas escritas pelo grande astro do rock não podem reclamar. Após o lançamento há alguns dias de Murder Most Foul (ouça aqui), com seus pungentes 17 minutos de duração, agora é disponibilizada I Contain Multitudes, que também surge de forma impressiva e arrancando elogios por parte da crítica especializada.

Bem mais compacta do que a anterior (tem pouco mais de 4 minutos) mas com o mesmo clima reflexivo predominando, temos aqui o autor de Blowin’ In The Wind e tantos outros clássicos mais inspirado do que nunca.

Ele inicia com os belos e profundos versos “today, tomorrow and yesterday, too, the flowers are dyin’ like all things do” (“hoje, amanhã e ontem, as flores estão morrendo, como todas as coisas fazem”, em tradução livre).

Influenciada pelo saudoso poeta Walt Whitman, a balada mostra o cantor com uma interpretação contida e bem segura, e a letra traz citações referentes aos Rolling Stones, Edgar Allan Poe e Frank Sinatra.

A parte final traz os versos “I have no apologies to make” (“não tenho desculpas a pedir”, em tradução livre). No geral, a canção tem alguma afinidade com a clássica Ring Them Bells, do álbum Oh Mercy (1989).

O álbum mais recente de Bob Dylan incluindo apenas composições próprias, Tempest, saiu em 2012. Desde então, o icônico cantor, compositor e músico americano nos proporcionou três álbuns com releituras de standards da música americana- Shadows In The Night (2015), Fallen Angels (2016) e Triplicate (2017, este um álbum triplo), todos bem-sucedidos em termos comerciais.

Ainda não se sabe se essas duas novas faixas de Bob Dylan são a amostra de um novo álbum à caminho ou se encerram em si mesmas. A primeira opção parece a mais provável, mas só saberemos no decorrer dos próximos capítulos.

Vale lembrar que ele sempre foi uma figura enigmática, de decisões nem sempre previsíveis. Seja como for, ou amostras, ou faixas avulsas, possuem seu forte e poderoso DNA, o que não é pouco para alguém rumo a completar 79 anos de idade no próximo dia 24 de maio. Que venha mais!

I Contain Multitudes– Bob Dylan:

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑