Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Annie Lennox me deixou com o queixo caído

Por Fabian Chacur

Cobri todas as edições do extinto festival Hollywood Rock pelo também extinto jornal Diário Popular, com exceção da última, realizada em janeiro de 1996. Tenho belas lembranças de shows e entrevistas coletivas desse evento.

Uma delas ocorreu em janeiro de 1990. Tive a oportunidade de participar, em um hotel em São Paulo, da entrevista coletiva com Annie Lennox e Dave Stewart, respectivamente vocalista e guitarrista do Eurythmics.

O duo britânico fez muito sucesso nos anos 80 graças a hits como Sweet Dreams (Are Made Of This), Revival, The Miracle Of Love e dezenas de outros. Eles estiveram por aqui durante uma turnê que seria a última por quase dez anos.

Curiosamente, considero Peace (1999), o disco que marcou a volta provisória do duo à ativa, como o melhor de sua carreira.

Além da produção apurada e dos ótimos dotes de Dave Stewart como músico, o Eurythmics tinha como arma a voz poderosa e negroide de Annie Lennox, uma das melhores da história do pop. Sua carreira solo, iniciada nos anos 90, é também excelente, como discos como Diva (1992) e Medusa (1995) comprovam.

Além disso, tinha o visual da moça, com seus marcantes cabelos curtíssimos e loiros (vez por outra, vermelhos, também) e um rosto belíssimo. Uma mulher cativante, estonteante e única. Essa beleza se mostrou ainda mais evidente na coletiva.

Simpáticos, Stewart e Lennox falaram sobre carreira, show e tudo com muita simpatia e atenção. Mas o melhor ficou mesmo para o final. Eles explicaram que, sempre após encerrar suas coletivas de imprensa, tocavam uma música para os jornalistas.

Com Dave no violão e Annie nos vocais, eles mandaram ver um arranjo estilo blues mais lento do sensacional rock Missionary Man. Em pouco tempos os jornalistas entraram em êxtase, a ponto de não se assustarem quando o músico quebrou um copo, que usava para fazer efeitos de slide guitar, em mesa próxima a ele. Pelo contrário, todos vibraram, adrenalina a mil!

Ao final, aplaudíamos entusiasmados. Nunca vou esquecer dessa performance exclusiva a que apenas eu e mais alguns repórteres tivemos a oportunidade e a honra de conferir.

Por mim, eles teriam ficado ali tocando por no mínimo umas duas horas…. O show? Foi legal, mas nada comparável a esse aperitivo acústico. E exclusivo.

5 Comments

  1. Adoro Eurythmics. A voz de Annie Lennox eh algo embriagador, num bom sentido. Sweet Dreams eh a minha musica favorita dessa banda. Uma musica que se alguem que nunca ouviu, ouvisse hoje, pensaria que eh uma musica novinha em folha, pois nao envelheceu em nada com o tempo.

  2. Alexandre Damiano

    September 26, 2010 at 1:28 am

    Sensacional hein Fabian !!

    que sorte !

    eu gosto muito de ” when tomorrow comes ”

    by the way

    Parabéns pelo aniversário !
    saúde, paz, amor, grana e muitas alegrias!
    votos do amigo
    Alexandre Damiano

  3. admin

    September 30, 2010 at 1:26 am

    Sweet Dreams é como toda grande música, Cláudio: soa atemporal. Excelente!!! Muito obrigado pelos votos, Alexandre, valeu, mesmo! Desejo o mesmo a você e a sua família, hoje e sempre!!!! Abraço aos dois amigos e que vocês voltem sempre por aqui!!!!

  4. Puxa vida…que sorte a tua hein?! Cara a cara com um dos maiores ícones femininos da música e ainda com um show particular…nossa…eu queria estar no teu lugar

  5. admin

    July 4, 2011 at 4:36 pm

    É, Kaissa, posso me considerar realmente sortudo, pois foi um dos momentos mais bacanas da minha carreira como jornalista da área musical ter tido a honra de presenciar essa performance. Obrigado pela visita, volte sempre!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑