Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: janeiro 2016

Moda de Rock II será lançado com show no Sesc Pinheiros

Moda de Rock II Foto Rita Perran-400x

Por Fabian Chacur

Moda de Rock- Viola Extrema , de Ricardo Vignini e Zé Helder, foi um CD tão surpreendente e bem-sucedido que era de se esperar que teria uma continuação. O primeiro volume trazia versões violeiras para clássicos rockers do naipe de Kashmir (Led Zeppelin), Norwegian Wood (Beatles), In The Flesh (Pink Floyd), Kaiowas (Sepultura) e Mr. Crowley (Ozzy Osbourne). Agora, quase cinco anos depois, chega a vez de Moda de Rock II, que será lançado em São Paulo com show neste domingo (17) às 18h no Sesc Pinheiros (rua Paes Leme, 195-Pinheiros-fone: 0xx11 3095.9400). Os ingressos custam de R$12,00 a R$ 40,00.

Moda de Rock II (que traz como subtítulo Viola Caipira Instrumental) nos oferece 12 releituras endiabradas de clássicos do rock de várias origens, entre eles Why Worry (Dire Straits), Refuse/Resist (Sepultura), Wasted Years (Iron Maiden), Raining Blood (Slayer) e Thunderstruck (AC/DC). A energia, a criatividade e o talento dos músicos permanece intacto. Uma sequência à altura do álbum que deu origem à série.

Helder e Vignini fizeram mais de 300 shows com esse projeto, com direito ao registro de um DVD com participações de Pepeu Gomes, Kiko Loureiro e Os Favoritos da Catira. Eles também tocaram ao vivo com Andreas Kissser, Lucio Maia e Renato Teixeira. Vale lembrar que o projeto surgiu de forma despretensiosa, com os dois músicos mostrando a seus alunos de viola o potencial desse seminal instrumento.

Além do Moda de Rock, os dois também são colegas na banda Matuto Moderno, que já lançou vários CDs bacanas. Zé Helder lançou recentemente seu terceiro CD individual, Assopra o Borralho, enquanto Ricardo Vignini tem no currículo gravações com o seu power trio de rock pesado Mano Sinistra e com o violeiro Indio Cachoeira , além de ter participado do CD Carbono, de Lenine, com direito a tocar com o artista pernambucano no Rock in Rio.

O show no Sesc Pinheiros tem tudo para ser histórico, pois contará com uma participação mais do que ilustre: a do guitarrista Robertinho do Recife, um dos melhores nesse instrumento no Brasil e no mundo e conhecido por seus trabalhos solo e também ao lado de Raimundo Fagner e inúmeros outros. Depois dessa estreia em São Paulo, a ideia do duo é levar esse show para o resto do país, se possível ampliando ainda mais o roteiro da turnê anterior.

Refuse/Resist– Ricardo Vignini e Zé Helder:

Luiz Pinheiro mostra músicas do seu CD 3,1415… em SP

luiz pinheiro 2-400x

Por Fabian Chacur

Definir Luiz Pinheiro como MPB é similar a chamar de doce qualquer alimento que possua açúcar em sua receita. Muito limitador. Esse cantor, compositor e músico mineiro radicado em São Paulo vai além dos limites de gênero e nos proporciona uma música mestiça e bacana. Ele mostra o repertório de seu novo CD, 3,1415…, em show neste sábado (16) às 21h30 no Espaço Cia da Revista (Alameda Nothmann, 1135 – Santa Cecília- SP- fone: 0xx11 3791-5200), com ingressos a R$ 15,00 e R$30,00.

Psiquiatra de formação que optou por atuar como psicanalista, Luiz Pinheiro é conhecido por ter tido composições de sua autoria gravadas por vários artistas bacanas e importantes, entre eles Cássia Eller, Arrigo Barnabé, Hermelino Neder, Vânia Bastos e Vanessa Bumagny. Seu primeiro CD, Cássia Secreta, gravado em parceria com Hermelino Neder, traz músicas que ela interpretou em shows e nunca gravou.

O primeiro trabalho solo, Decompor (Canções do Subsolo), saiu em 2011 e já mostrava Pinheiro ao lado de seu verdadeiro “lugar-tenente”, o ótimo guitarrista, violonista, arranjador e coprodutor Valter Gomes, que se mantém em seu time até hoje. O som mistura vários ritmos brasileiros e elementos de música pop, com direito a letras criativas que remexem nos sentimentos afetivos de forma inesperada.

O mais novo CD desse nativo de Juiz de Fora (MG) o mostra inquieto, em uma fusão com rock, música eletrônica e pop, sem no entanto se descaracterizar. O título remete ao símbolo matemático da letra grega pi, e Pi é seu apelido desde os tempos de escola. Músicas incríveis como Brejo, a faixa título, Burcas, Nômade Urbano e Traficante são destaques de um trabalho que conta com participações especiais de, entre outros, Jorge Mautner, Lirinha, Ivan Cabral, Vanessa Bumagny e Nô Stopa.

A banda que acompanha Luiz Pinheiro ao vivo, denominada Nômades Urbanos, é integrada por Luciano Nogara (bateria e programações eletrônicas, nome importante nessa guinada eletropop do “patrão”), Sandro Prêmmero (baixo, violão e viola) e Valter Gomes (guitarra e direção musical). O show é definido por ele próprio como lítero-musical, o que faz todo o sentido do mundo, pois as letras das canções são tão importantes como suas melodias.

Brejo– Luiz Pinheiro:

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑