Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: rock pernambucano

Flaviola e o Bando do Sol, ótimo LP de 1974, é relançado em vinil

Flaviola e o Bando do Sol - LP 400x

Por Fabian Chacur

O rock psicodélico pernambucano gerou belos frutos, especialmente durante a primeira metade da década de 1970. Muitos dos álbuns lançados nesse fértil período criativo permaneceram durante décadas fora dos catálogos. Nos últimos anos, alguns dos mais expressivos títulos dessa era tem felizmente merecido reedições. Agora, é a vez de Flaviola e o Bando do Sol (1974), em versão de vinil de 180 gramas, mais um item na coleção Clássicos em Vinil, da Polysom.

Com capa cujo estilão lembra o da carreira-solo de Syd Barrett, o disco é o único gravado pelo cantor, compositor e poeta Flaviola, cujo nome de batismo é Flávio Lira. Com 13 faixas, o disco traz como faixa mais conhecida O Romance da Lua Lua, que não só seria relida com muito sucesso como também daria nome ao álbum lançado em 1983 pela cantora cearense Amelinha. A versão original de Flaviola é também muito boa, vale ressaltar.

Trazendo 13 faixas e lançado na época pela mitológica gravadora de Recife (PE) Rozenblit, Flaviola e o Bando do Sol reúne composições dele e também duas versões em português para poemas do espanhol Garcia Lorca (Canção de Outono) e do georgiano Vladimir Maiakovski (Balalaika). Robertinho do Recife é o autor de Brilhante Estrela, e participam do LP Lula Côrtes e Zé da Flauta.

Ouça Flaviola e o Bando do Sol em streaming:

Ave Sangria inicia 2020 com o lançamento do single Janeiro

Ave Sangria - Janeiro (single)-400x

Por Fabian Chacur

Foram décadas de espera até que o retorno do Ave Sangria se concretizasse. A partir desse momento, ocorrido em 2014, no entanto, o grupo pernambucano que mistura de forma criativa e talentosa rock psicodélico com ritmos nordestinos se mostra ativo e inquieto. Após lançar em 2019 um novo álbum de estúdio, Vendavais, os caras agora nos oferecem um single inédito, Janeiro, cujo lyric video já está disponível, sendo que a versão digital estará nas plataformas digitais nesta quinta-feira (30).

Com bela capa criada pelo ilustrador Kin Noise, Janeiro traz uma bela aposta da banda em seu mix de rock e baião, com uma letra que investe na esperança que o início de um novo ano oferece às pessoas. Marco Polo (vocal), Paulo Rafael (guitarra solo e viola) e Almir de Oliveira (guitarra base e vocais), integrantes da formação original do grupo nos anos 1970, hoje tem a seu lado Juliano Holanda (baixo e vocais), Gilu Amaral (percussão) e Junior do Jarro (bateria e vocais).

O grupo iniciará a divulgação de Janeiro ao vivo com um show no dia 8 de fevereiro (sábado) em Recife (PE), no Estelita. Leia mais sobre o Ave Sangria aqui.

Janeiro (lyric video)- Ave Sangria:

Ave Sangria anuncia álbum para breve e lança single de estúdio

Ave Sangria 05 (Flora Negri)-400x

Por Fabian Chacur

A banda Ave Sangria durou pouco em sua primeira encarnação, na metade inicial da década de 1970. No entanto, marcou época com seu único trabalho de estúdio, autointitulado, lançado em 1974 pela gravadora Continental e em poucas semanas tirado de cena pela censura da ditadura militar. Graças a muita procura do público jovem via internet, três integrantes da formação original trouxeram o grupo de volta à ativa a partir de 2014, e agora nos proporcionam um single gravado em estúdio, Dia a Dia, amostra do álbum que pretendem lançar ainda este semestre, com título já escolhido, Vendavais.

Esta canção saiu pela primeira vez no álbum póstumo ao vivo Perfumes Y Baratchos (2014), registro de um show derradeiro realizado em 1975. A nova versão de estúdio mostra muito vigor e eletricidade. Marco Polo (vocal e composições), Almir de Oliveira (vocal, guitarra-base e composições) e Paulo Rafael (guitarra-solo e viola) agora tem a seu lado Juliano Holanda (baixo e vocais), Gilu Amaral (percussão) e Júnior do Jarro (bateria e vocais).

O novo álbum do Ave Sangria trará Dia a Dia e mais dez outras composições, em trabalho gravado no Rio de Janeiro, embora a banda seja uma das grandes representantes da psicodelia pernambucana. O guitarrista Paulo Rafael ficou conhecido após sair deste grupo como braço direito do conterrâneo Alceu Valença, participando de seus trabalhos mais emblemáticos. Ele também gravou três álbuns solo e integra a Primavera Nos Dentes (leia sobre eles aqui), que lançou um CD em 2017 com releituras de músicas dos Secos & Molhados.

Dia a Dia– Ave Sangria:

Banda Mamelungos esbanja o swing próprio em novo CD

mamelungos-esse_ei%c2%81_o_nosso_mundo-400x

Por Fabian Chacur

O pop pernambucano continua se renovando e mostrando novos valores e rumos musicais. Uma das bandas mais bacanas de lá acaba de lançar o seu novo álbum. Trata-se da Mamelungos, que surgiu em 2009 e já nos tinha proporcionado anteriormente um trabalho autointitulado. Esse é o Nosso Mundo, o 2º, acaba de sair. E nada melhor do que conferir o som do quarteto e chegar à conclusão de que temos aqui música pop da melhor qualidade, consistente e boa de se ouvir.

Integram atualmente a banda Thiago Hoover, Peu Lima, Luccas Maia e Weré Lima, que são cantores, compositores e músicos, alternando-se em vocalizações e instrumentos diversos. Em seu segundo CD, eles contam com várias participações ilustres: Marcelo Jeneci, Vanessa Oliveira, Flaira Ferro, Sofia Freire e Lula Queiroga. A produção ficou a cargo do experiente China (ex-integrante do grupo Sheik Tosado).

O som dos Mamelungos equivale a um verdadeiro caleidoscópio musical, com várias cores sonoras. O clima é swingado, viajante e mestiço, injetando em uma base pop elementos de rock, pop, reggae, ska, psicodelismo e música brasileira em geral. As vocalizações são sempre muito legais, enquanto o acompanhamento instrumental é delicado, sutil, criativo e extremamente bem concatenado.

As onze faixas autorais e inéditas nos remetem a vários estados emocionais e mentais, sempre por um viés positivo. Música viajante, sim, mas sem ser “viajandona”. La Lune, Coisa Melhor, Gira Só, Buenos Aires e Xícaras Cheias são destaques de um trabalho incrivelmente bom de se ouvir, certamente fruto de muitos ensaios e conversas musicais entre seus integrantes. E a capa do CD é belíssima, invólucro perfeito para um conteúdo especial e espacial. Recomendo sem contraindicações.

Ouça Esse é o Nosso Mundo, dos Mamelungos, em streaming:

Nação Zumbi e Mundo Livre S/A gravam CD

Por Fabian Chacur

Duas das bandas mais importantes da vertente roqueira brasileira denominada mangue beat estão preparando um álbum em parceria. São elas a Nação Zumbi e a Mundo Livre S/A. Os dois grupos se encontram atualmente em estúdio, e o CD deve chegar às lojas ainda no primeiro semestre, pela gravadora DeckDisc.

O esquema será similar ao que o mesmo selo realizou com o Ultraje a Rigor e os Raimundos. Cada grupo tocará sete músicas do repertório da companheira de disco. A Nação Zumbi investirá em Livre Iniciativa e Bolo de Ameixa (entre outras), dos colegas, enquanto a Mundo Livre S/A relerá do seu jeito faixas como Meu Maracatu Pesa Uma Tonelada e Manguetown.

Liderada inicialmente pelo saudoso Chico Science, a Nação Zumbi entrou para a história do rock nacional a partir dos anos 90 graças a álbuns como Da Lama Ao Caos e Afrociberdelia, enquanto a Mundo Livre S/A, liderada por Fred Zero 4, emplacou na mesma época trabalhos importantes, entre os quais Samba Esquema Noise e Guentando a Ôia.

Os dois grupos iniciaram em 2005 um projeto conjunto intitulado Projeto Orquestra Manguefônica, que obteve ótima repercussão e gerou vários shows. A mistura feita por eles de rock, psicodelismo, soul, funk e muita música brasileira abriu novos e criativos horizontes para o rock brasileiro, ampliados até hoje por eles.

Ouça Manguetown, com Chico Science & Nação Zumbi:

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑