Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: sly stone

Sly Stone lançará novo álbum após 29 anos

Por Fabian Chacur

No dia 16 de agosto, uma espera de 29 anos deverá ter fim, segundo informações do site da revista britânica New Musical Express.

Nessa data, deverá sair em vinil e CD I’m Back! Family & Friends, novo álbum do lendário Sly Stone.

Stone, que se notabilizou como líder da seminal banda Sly & The Family Stone nos anos 60 e 70, lançou seu álbum anterior, Ain’t But The One Way, em 1982.

Desde então, fez esparsas participações em discos alheios e sumiu até o meio da década passada, quando começou a fazer um ou outro show, como mostra bem o sensacional documentário Coming Back For More, comentado aqui em Mondo Pop.

O novo álbum contará com participações especiais de nomes importantes da música, entre os quais Jeff Beck, Ann Wilson (do grupo Heart) e Johnny Winter.

Além de releituras de clássicos de seu repertório, o álbum trará três músicas inéditas: Plain Jane, Get Away e His Eye On The Sparrow, sendo que na versão CD, a última faixa também será incluída em três versões remixadas.

Eis a relação de faixas:

Dance To The Music – com Ray Manzarek (ex-The Doors)

Everyday People -com Ann Wilson (do grupo Heart)

Family Affair

Stand! com o baterista Carmine Appice (ex-Vanila Fudge) e o saxofonista Ernie Watts (tocou com os Rolling Stones)

Thank You – com Johnny Winter

I Want to Take You Higher – com Jeff Beck

Hot Fun In The Summertime – com Bootsy Collins (ex-Funkadelic/Parliament)

Plain Jane

His Eye On The Sparrow

Get Away .

Participação de Sly Stone no festival Coachella 2010:

Ouça a versão original de Family Affair:

Sly Stone é entrevistado em documentário

Por Fabian Chacur

Sly Stone é uma espécie de mago da música pop.

Sua capacidade de misturar elementos musicais em sua obra, além de não obedecer limites ou preconceitos, o tornou um dos grandes gênios dessa nem sempre muito maravilhosa pop music.

Como cantor, compositor, músico e líder da seminal banda Sly & The Family Stone, ele revolucionou ao misturar soul, rock, jazz, pop, psicodelismo e o que mais lhe viesse à cabeça.

Comandante de uma banda multirracial, ignorou rascismos, fascismos e outros ismos do mal.

Resultado: grooves maravilhosos, músicas fantásticas e performances ao vivo marcantes, entre as quais uma no festival de Woodstock, em agosto de 1969, um dos grandes registros da história do rock e do pop.

Da segunda metade dos anos 60 ao final dos 70, lançou músicas essenciais como Dance To The Music, Stand!, The Family Affair, Thank You, Everybody Is a Star e inúmeros outros.

No entanto, a partir do finalzinho dos anos 70, Stone começou a sumir de cena, até que, nos anos 90, ninguém tinha a mínima ideia de onde o cidadão havia parado, ou se ainda fazia algo.

No início dos anos 2000, o cineasta holandês Willem Alkema resolveu ir atrás dessas respostas, com um objetivo firme: entrevistar o astro sumido.

Coming Back For More (2010 – 74 minutos), que está sendo exibido neste mês de maio no Brasil como parte do festival In-Edit~Brasil em São Paulo e Rio, é o registro dessa experiência única.

Durante mais de cinco anos, Alkema correu atrás de todas as pistas possíveis, além de entrevistar músicos que tocaram na Family Stone, produtores, fãs ilustres etc. Todos duvidavam que ele conseguiria atingir o seu intuito.

Com a ajuda de dois gêmeos holandeses megafãs do mestre da black music, ele tanto tentou que enfim conseguiu não só realizar o seu intento, como praticamente ficar amigo de Sly Stone.

Além da entrevista, na qual o músico revela os problemas que teve com contadores, produtores etc e que o levaram a sumir por tanto tempo, o documentário também inclui registros dos anos áureos de Sly & The Family Stone.

O jeito malucão de Stone, que visivelmente passou por sérios problemas de saúde que lhe deixaram algumas sequelas (embora sua voz continue maravilhosa), cativa, assim como os gêmeos, que sabem mais sobre a carreira do gênio do que ele próprio.

Coming Back For More é a realização de um verdadeiro sonho maluco, que Willem Alkema agora compartilha com o público;

Veja o trailer de Coming Back For More:

Sly Stone sai da tumba e lançará novo CD

slystone3por Fabian Chacur

Essa foi uma das melhores notícias da semana. A gravadora Cleopatra, de Los Angeles, anunciou a contratação de Sly Stone. Ele mesmo, um dos maiores gênios da história da música pop, e mais sumido do que dinheiro.

Stone já está em estúdio gravando um novo CD previsto para sair em 2010. O álbum deve misturar canções inéditas com releituras de clássicos do Sly & The Family Stone.

Nascido em 15 de março de 1943, Sly Stone iniciou sua carreira no meio musical na primeira metade dos anos 60. Inicialmente, foi produtor de bandas como The Beau Brummels e Great Society.

Na segunda metade da década de 60, resolveu montar sua própria banda. O conceito era genial: fundir rock, pop, soul, jazz, psicodelismo e o que mais pintasse, sem medo de ser feliz.

Melhor: o grupo misturava músicos negros como ele e também branquelos com swing. Foi uma das primeiras bandas multiraciais americanas a dar certo na parte de frente dos palcos e das paradas de sucesso.

Eles se consagraram após uma participação explosiva no Festival de Woodstock, em agosto de 1969, eternizada no filme que registrou aquele evento mítico para a história do rock and roll e da música pop.

Músicas como Dance To The Music, I Want to Take You Higher, Hot Fun In The Summertime e The Family Affair ganharam as paradas de todo o planeta, e foram influências fundamentais no surgimento do funk, da disco music e do rock com acento soul.

Mas a festa não durou muito. A partir do apenas mediano CD Fresh (1973) e da saída do genial baixista e cantor Larry Graham, o Sly & The Family Stone perdeu força e logo acabou.

Sly Stone tentou uma carreira solo, mas, mergulhado em drogas pesadas, foi perdendo a mão e a originalidade. Após lançar o álbum Ain’t But The One Way (1983) e o single Eek-a-bo-static (1987), deu uma sumida.

Uma de suas raras aparições foi participando de uma faixa do CD Heritage, do Earth, Wind & Fire. O sumiço levou muitos a considerarem ele como um possível novo morto ilustre do meio roqueiro.

Até que, em 2006, ele participou de uma homenagem à sua própria pessoa no Grammy Awards, com destaque e ao lado de Steven Tyler (Aerosmith) e Jon Legend, entre outros.

Que venha o novo álbum. Tomara que seja ótimo, embora ninguém mais consciente e cético espere algo no nível de Stand! (1969), o melhor trabalho do Sly & The Family Stone e discoteca básica para qualquer fã de rock, pop e black music que se preze.

© 2020 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑