Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: álbuns clássicos

Planet Hemp tocará Usuário na Mix TV

Por Fabian Chacur

O projeto Álbuns Clássicos, feito em parceria por Mix TV e Mix FM, terá a sua segunda gravação em 2013. Desta vez, o grupo carioca Planet Hemp irá tocar na íntegra seu polêmico álbum de estreia, Usuário, lançado em 1995. O show será realizado nesta terça-feira (28) a partir das 20h no Teatro da Mix, em São Paulo.

Os ingressos para o show vão ser disponibilizados apenas através de promoções divulgadas no site oficial da emissora. O espetáculo vai se valer do palco do belo teatro localizado em frente ao Centro Cultural São Paulo (na rua Vergueiro), e será veiculado no dia 7 de junho na Mix FM e no dia 22 de junho na Mix TV.

Usuário conseguiu bons números de vendagem e muita discussão devido ao conteúdo de suas letras, cujo assunto básico e quase único é a liberação do uso da maconha no Brasil. Legalize Já e Mantenha o Respeito foram as faixas de maior sucesso, especialmente a primeira, que virou um verdadeiro hino em relação ao tema.

Após mais de dez anos fora de cena, período durante o qual seu vocalista Marcelo D2 consolidou uma bem-sucedida carreira solo, o Planet Hemp voltou ao cenário musical em 2012, e desde então está realizando uma série de shows pelo Brasil, com ótima repercussão de público e crítica. Entre eles, uma apresentação no Lollapalooza Brasil 2013, no mês de março, no Jockey Club (SP).

A banda carioca voltou à ativa com formação quase completa, que inclui D2 e também BNegão (vocal), Rafael Crespo (guitarra), Formigão (baixo) e Bacalhau (bateria). Sua mistura de rock, rap, funk de verdade, punk hardcore e psicodelia deverá gerar em breve um DVD/CD registrando a nova fase dos rapazes fãs da fumaça proibida.

Saiba como concorrer a ingressos em www.mixtv.com.br/albunsclassicos .

Ouça Legalize Já, com o Planet Hemp:

Plebe Rude toca CD clássico ao vivo no Rio

Por Fabian Chacur

Na última sexta-feira (24), o público que foi ao Circo Voador, no Rio, teve uma oportunidade de ouro: ver ao vivo, na íntegra, a execução de um dos melhores álbuns da história do rock nacional de todos os tempos.

Trata-se de O Concreto Já Rachou, trabalho de estreia da Plebe Rude, lançado em 1985 e que se tornou rapidamente e de forma merecida um campeão de vendas, além de marco na carreira do quarteto oriundo de Brasília.

O CD inclui sete faixas impecáveis, entre as quais as sensacionais Até Quando Esperar, Johnny, Proteção, Minha Renda e a música que dá nome ao disco. Um belo início para essa banda do primeiríssimo time do rock de combate made in Brasil.

Para quem por ventura ainda não sabe, a Plebe Rude lançou em 2011 um excelente CD/DVD ao vivo e mantém atualmente dois integrantes de sua escalação inicial, Philippe Seabra (guitarra e vocal) e André X (baixo), com o lendário Clemente (vocal e guitarra), dos Inocentes, e Txotxa (bateria), ex-Maskavo Roots, completando (com muita categoria e garra) o time.

Fica a dica para a TV/FM Mix, que está mandando bem no projeto Álbuns Classicos, incluir a Plebe e seu estupendo disco de estreia na programação em que eles gravam shows ao vivo e exclusivos com os melhores grupos do rock brasileiro tocando na íntegra seus classic albums.

Até Quando Esperar, com Plebe Rude, clipe da época:

Até Quando Esperar, com Plebe Rude, ao vivo em 2011:

Cabeça Dinossauro em versão minimalista

Por Fabian Chacur

Em 1986, tive a oportunidade de ver o show de lançamento do álbum Cabeça Dinossauro, dos Titãs, realizado em SP no extinto Projeto SP, em sua primeira versão, no formato de circo, na rua Caio Prado. Foi um ano histórico para o rock brasileiro.

A performance da banda nessa apresentação pode ser definida como simplesmente inesquecível, com direito a iluminação especial, set list incrementado e um desempenho impressionante da hoje seminal banda paulistana de rock, uma das melhores de todos os tempos.

Muita água rolou por debaixo da ponte titânica desde então. Quatro integrantes do então octeto saíram fora, um por força maior (o saudoso Marcelo Fromer), outros para investir em outros projetos (Arnaldo Antunes, Nando Reis e Charles Gavin). Do time original, sobraram apenas Tony Bellotto, Paulo Miklos, Branco Mello e Sérgio Britto.

Ao contrário de tempos recentes, nos quais o grupo se valia de alguns músicos de apoio, a encarnação 2012 dos Titãs conta apenas com um aliado adicional, o experiente (e ótimo) baterista Mário Fabre. Bellotto fica fixo na guitarra, enquanto Miklos, Britto e Mello se dividem entre teclados, guitarra e baixo.

Esse line-up deu total conta do recado na releitura ao vivo do antológico Cabeça Dinossauro feita na noite desta terça-feira (21) no Teatro da Mix, em São Paulo, gravada pela Mix TV e pela Mix FM para integrar o excelente projeto Mix ao Vivo Álbuns Clássicos, nos quais grandes bandas do rock brazuca tocam na íntegra seus álbuns mais famosos.

Com muita garra, entrosamento e jogo de cintura, os Titãs versão 2012 souberam encarar o repertório de Cabeça Dinossauro, com Miklos, Mello e Britto preenchendo com categoria as lacunas vocais surgidas nas músicas que eram interpretadas na época por Nando e Arnaldo.

Músicas como O Que, Aa Uu, Igreja, Bichos Escrotos, Porrada, Homem Primata e Família soaram como se tivessem sido lançadas agora, tal o seu frescor e clima de novidade, mesmo 26 anos depois. Música boa é para sempre, já dizia o tal de outro.

Além das 13 músicas de Cabeça Dinossauro tocadas na sequência em que apareciam no álbum, os Titãs repetiram Cabeça Dinossauro e Bichos Escrotos por razões técnicas e apresentaram, como brinde, cinco pauladas de seu repertório: Lugar Nenhum, Aluga-se (de Raul Seixas), Diversão, Flores e Sonífera Ilha.

Superando todas as crises que viveram em seus produtivos 30 anos de carreira, os Titãs continuam mais Titãs do que nunca em 2012, provando que, se continuarem com esse pique, irão completar 40 e mais anos na estrada do rock and roll em plena forma e com fome de bola.

Ouça o álbum Cabeça Dinossauro, versão original, na íntegra:

Capital Inicial estará em Álbuns Clássicos

Por Fabian Chacur

A partir de março, a Mix TV e a Mix FM darão início a uma série muito interessante. Trata-se de Projeto Mix Ao Vivo – Álbuns Clássicos, com transmissão por essas emissoras de TV e rádio.

Mensalmente, teremos alguns dos mais importantes grupos do rock brasileiro tocando, na íntegra, o repertório de trabalhos antológicos de suas respectivas discografias.

O Capital Inicial, por exemplo, irá participar com o repertório completo de seu autointitulado álbum de estreia, de 1986, que inclui hits como Música Urbana, Fátima e Psicopata.

Do mesmo ano é Selvagem?, dos Paralamas do Sucesso, trabalho que inclui petardos como Alagados, A Novidade e Melô do Marinheiro, entre outras.

E 1986 foi mesmo um ano sensacional para o rock brasileiro, pois Cabeça Dinossauro, dos Titãs, também chegou às lojas nessa época, repleto de clássicos como AAUU, Homem Primata, Polícia e O Quê.

Considerado por muita gente o melhor álbum do rock brasileiro de todos os tempos, o incandescente e energético Nós Vamos Invadir a Sua Praia, de 1985, representará o Ultraje a Rigor, com direito à faixa título, Inútil, Ciúme e Zoraide, só para citar algumas.

Completam a programação anunciada pelos organizadores dois petardos de grupos da geração anos 90: Cosmotron(2003), do Skank, e Lado B Lado A(1999), do O Rappa. Cada programa incluirá, além do show, entrevistas com os músicos e cenas dos bastidores das gravações.

Ouça Música Urbana, com o Capital Inicial:

© 2021 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑