Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Tag: mangue beat

Mundo Livre S/A lança a ácida e certeira faixa Baile Infectado

Mundo Livre S_A 2 (Crédito Tiago Calazans)

Por Fabian Chacur

Mundo Livre S/A está com música nova. O grupo pernambucano integrado por Fred Zero Quatro (cavaquinho e voz), Xef Tony (bateria e backing vocal), P3dr0 Diniz (baixo e backing vocal), Léo D. (sintetizadores, teclado e programações) e Pedro Santana (percussão) ataca de Baile Infectado, ácido single inspirado em nossos dias atuais e com base rítmica misturando ritmos brasileiros e latinos com sonoridades eletrônicas. Trata-se da primeira amostra do novo álbum deles, que está previsto para sair ainda este ano.

Segundo Fred Zero Quatro, o título da música inicialmente seria Baile do Covid, mas eles acharam que seria interessante fazer um contraponto a outra canção lançada há 25 anos por eles, Baile Perfumado, tema do filme homônimo dirigido por Lírio Ferreira e Paulo Caldas. Ele fala mais sobre a inspiração em torno de Baile Infectado, em press release enviado à imprensa:

“Embora alguns governantes estivessem tentando garantir um distanciamento social para que o vírus não se alastrasse, você via todo todo tipo de festa clandestina e aglomeração acontecendo em todas as classes sociais. A ideia é fazer uma metáfora dessa situação”.

Baile Infectado– Mundo Livre S/A:

Mundo Livre S/A lança vídeo e retorna à Monstro Discos

mundo_livre-400x

Por Fabian Chacur

Boas notícias para os fãs da Mundo Livre S/A, seminal banda do mangue beat pernambucano e há mais de 20 anos na estrada. Eles firmaram uma nova parceria com a gravadora Monstro Discos, de Goiânia, pela qual já haviam lançado em 2005 o álbum Bebadogroove Vol.1.. A dobradinha será reinaugurada no início do segundo semestre com o lançamento em formato digital e também em CD, vinil e cassete do novo álbum do time, A Dança dos Não Famosos.

Uma amostra desse novo álbum acaba de ser disponibilizada no formato de lyric vídeo. Trata-se de A Maldição (Das Páginas Que não Viram), um verdadeiro petardo que mescla elementos de rock eletrônico e acústico com um pique energético e contagiante. A letra é inspirada em um terrível evento ocorrido há dez anos, quando o estudante coreano Cho Seung fuzilou vários colegas em uma importante faculdade de tecnologia americana e depois tirou a própria vida.

Fred Zeroquatro (vocal, violão e guitarra), Xef Tony (bateria), P3dro Diniz (baixo), Leo D (teclados e programações) e Pedro Santana (percussão), a atual formação do grupo, prometem em seu novo álbum uma sonoridade mais agressiva e com elementos experimentais, mas com veia dançante. Pela amostra oferecida, a expectativa em torno deste trabalho é das melhores, ainda mais vinda de uma banda que já fez muita coisa boa em sua elogiada trajetória.

A Maldição (Das Páginas Que Não Viram)– Mundo Livre S/A:

Baixe grátis música nova da Nação Zumbi

Por Fabian Chacur

Cicatriz, música nova da Nação Zumbi, pode ser baixada gratuitamente a partir desta terça-feira (25). A música é a primeira a ser divulgada do novo álbum de inéditas da banda pernambucana, Nação Zumbi, que será lançado pelo selo SLAP (da gravadora global Som Livre) com patrocínio do projeto Natura Musical. O álbum está previsto para chegar ao mercado no mês de abril.

A nova música da banda mais importante do movimento mangue beat, que não lança um trabalho de inéditas desde Fome de Tudo, de 2007, mostra a sua habitual habilidade em misturar sonoridades psicodélicas, rock e a música nordestina, servindo como uma amostra promissora e deixando seus inúmeros fãs com os ouvidos coçando para poder encarar a experiência completa, ou seja, ouvir o novo trabalho em sua íntegra.

A Nação Zumbi surgiu no início dos anos 90, e tinha em sua fase inicial a liderança de Chico Science, com quem gravou seus dois emblemáticos álbuns Da Lama Ao Caos (2004) e Afrociberdelia (2006), este último com direito a parceria com Gilberto Gil em Macô e brilhante releitura de Maracatu Atômico, de Jorge Mautner e Nelson Jacobina.

Quando vivia o auge de sua trajetória, perdeu em 1997 Chico Science, morto em um acidente de carro. Mesmo atordoada com a perda do seu cantor, o grupo juntou os cacos e seguiu em frente, consolidando sua sonoridade densa e ao mesmo tempo dançante e reflexiva, lançando novos trabalhos e fazendo shows pelo Brasil e o mundo, tornando-se o representante máximo do mangue beat e um dos grandes grupos do rock brasileiro de todos os tempos.

Ouça e baixe gratuitamente Cicatrizes, novo single da Nação Zumbi, aqui.

Nação Zumbi e Mundo Livre S/A gravam CD

Por Fabian Chacur

Duas das bandas mais importantes da vertente roqueira brasileira denominada mangue beat estão preparando um álbum em parceria. São elas a Nação Zumbi e a Mundo Livre S/A. Os dois grupos se encontram atualmente em estúdio, e o CD deve chegar às lojas ainda no primeiro semestre, pela gravadora DeckDisc.

O esquema será similar ao que o mesmo selo realizou com o Ultraje a Rigor e os Raimundos. Cada grupo tocará sete músicas do repertório da companheira de disco. A Nação Zumbi investirá em Livre Iniciativa e Bolo de Ameixa (entre outras), dos colegas, enquanto a Mundo Livre S/A relerá do seu jeito faixas como Meu Maracatu Pesa Uma Tonelada e Manguetown.

Liderada inicialmente pelo saudoso Chico Science, a Nação Zumbi entrou para a história do rock nacional a partir dos anos 90 graças a álbuns como Da Lama Ao Caos e Afrociberdelia, enquanto a Mundo Livre S/A, liderada por Fred Zero 4, emplacou na mesma época trabalhos importantes, entre os quais Samba Esquema Noise e Guentando a Ôia.

Os dois grupos iniciaram em 2005 um projeto conjunto intitulado Projeto Orquestra Manguefônica, que obteve ótima repercussão e gerou vários shows. A mistura feita por eles de rock, psicodelismo, soul, funk e muita música brasileira abriu novos e criativos horizontes para o rock brasileiro, ampliados até hoje por eles.

Ouça Manguetown, com Chico Science & Nação Zumbi:

© 2021 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑