Mondo Pop

O pop de ontem, hoje, e amanhã...

Category: Notícias (page 2 of 113)

Banda Sbloom mostra swing e simplicidade boa em singles

SBLOOM 004A Crédito João Robero-400x

Por Fabian Chacur

No atual cenário musical, há inúmeros artistas e grupos tentando mostrar sonoridades inventivas, criativas e fora dos padrões habituais. Nada contra, e alguns deles estão conseguindo bons resultados. No entanto, também é legal conferir trabalhos cujo objetivo básico é bem mais simples, porém difícil de se conseguir: entreter e cativar as pessoas com sonoridades familiares e boas de se ouvir. A coesa e competente banda carioca Sbloom se encaixa feito luva na segunda opção.

Kako Moreno (vocal), Lóck Bass (baixo) e Heider Aché (bateria) são amigos com quase três décadas de estrada na área musical, e já atuaram juntos em diversos trabalhos anteriores. No entanto, só agora conseguiram arrumar um tempinho para investir em um projeto autoral, no qual misturam rock, reggae e pop, com direito a um som melódico, bom de se ouvir e de simplicidade elogiável, sem cair no banal ou derivativo demais.

O trio carioca já postou três clipes no Youtube e nas plataformas digitais. O primeiro foi Notícias (ouça aqui), uma balada rock com letra de teor social. Conduzido por violão, o vocalista Kako fala sobre o clima pesado dos tempos atuais, e reflete o desejo de não ouvir mais notícias ruins ou coisas ligadas à violência e à maldade humana.

Ãgua na Boca equivale a um pop rock com pegada swingada, com direito a uma bela garota no clipe. Completa a trinca de canções o delicioso reggae Sou Feliz e Adeus (veja o clipe aqui), que traz como mote uma desilusão amorosa que você tenta superar de forma o mais positiva possível. Essas duas tiveram seus clipes registrados em São Paulo, com direção artística de Alexandre Arez e produção artística de João Robero. Eles prometem novidades para 2019.

Água na Boca (clipe)- Sbloom:

Cris Narchi interpreta canções natalinas neste sábado (15) em SP

cris narchi 1-400x

Por Fabian Chacur

Dezembro é um mês cuja data máxima é sem sombra de dúvidas o natal. Em torno dele, giram o comércio, as emoções, o carinho e a oportunidade da reunião da família em torno de uma mesa farta e bem arrumada. Também temos o predomínio das canções feitas especialmente para a ocasião, e shows temáticos. E é exatamente um deles que a cantora Cris Narchi irá proporcionar ao público neste sábado (15) às 11h em São Paulo, na Praça Pereira Coutinho, Vila Nova Conceição, com entrada gratuita.

Com produção a cargo dos consagrados Luiz Carlos Maluly e Marcos Caixote Pontes, Cris irá interpretar um repertório de canções natalinas para encantar os corações das mais diversas gerações, com direito a All I Want For Christmas Is You e Jingle Bells. A intérprete atualmente prepara o lançamento de um novo single, e investe em uma sonoridade que mescla soul, pop, MPB e muito mais, sempre com direito a muita emoção e qualidade artística (leia mais sobre ela aqui).

The Greatest Love Of All (ao vivo)– Cris Narchi:

Tânia Grinberg e Fabio Madureira lançam CD com show em Sampa

Tania Grinberg e Fabio Madureira - Foto Lou Gaioto (02) -400x

Por Fabian Chacur

Tânia Grinberg e Fabio Madureira se conheceram em 2013, quando participavam do curso de pós-graduação em canção popular da Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo. Em 2015, deram início a um trabalho em dupla cujo primeiro fruto, o CD Gota Onde Nada o Peixe, acaba de sair. Um desses trabalhos mágicos, envolventes, que te capturam logo de cara, na primeira audição, de bate-pronto. Eles mostram suas canções em São Paulo neste sábado (15) às 21h no Teatro da Rotina (rua Augusta, nª 912- cj.12- Consolação- fone 0xx-3582-4479), com ingressos a R$ 20,00 e R$ 40,00.

Se a dupla ainda vive momentos iniciais, o currículo de seus integrantes é repleto de itens. Tânia é cantora, compositora, escritora, educadora e atriz. Integra o grupo Azdi, que investe em música judia. Lançou o livro Balada dos Bichos, e este ano, três anos depois, nos oferece um disco com músicas compostas a partir do livro. Por sua vez, Fábio, que canta, compõe e toca violão e percussão, é formado em música e estudou violão popular e clássico, além de ser professor de guitarra e violão. Toda essa experiência se refletiu na qualidade deste primeiro trabalho.

Definir as 11 faixas de Gota Onde Nada o Peixe é uma tarefa complicada, pois o duo mostra versatilidade, mostrando influências de folk, música de vanguarda, ritmos brasileiros e até mesmo rock progressivo, com um tempero psicodélico simplesmente irresistível. Cada canção equivale a uma nova viagem sensorial por mares nunca dantes apreciados. Participam do álbum gente talentosa do porte de Antonio Nóbrega, Alexandre Fontanetti, Guilherme Kastrup e Ari Colares, entre outros. Uma turma afiada, jogando em prol de cada canção.

Novelo, Dragão Dourado, Gota Onde Nada o Peixe, Toca o que Não Vê , Semente e Fluir, Florir são destaques de um trabalho no qual temos a voz límpida e extremamente bem colocada de Tânia, aliada ao violão delicado de Fabio. No show deste sábado, eles terão a participação de Priscila Brigante na percussão. Distribuído pela Tratore, o CD Gota Onde Nada o Peixe é um dos lançamentos mais bacanas de 2018, ideal para quem curte música inventiva e boa de se ouvir.

Gota Onde Nada o Peixe -Tânia Grinberg e Fabio Madureira:

Rita Coolidge virá ao Brasil pela primeira vez em abril de 2019

rita coolidge 1-400x

Por Fabian Chacur

Uma belíssima notícia para os fãs de pop-rock de veia romântica. Rita Coolidge, uma das intérpretes de maior sucesso dos anos 1970 nessa área, com direito a cinco hits certeiros incluídos em trilhas de novelas globais, finalmente fará shows no Brasil. Ela se apresentará em Vitória (ES) no dia 10 de abril, no Estacionamento do Shopping Vitória, em São Paulo no dia 12 de abril, no Tom Brasil, e no dia 13 de abril no Rio de Janeiro, no Vivo Rio.

A estrela do pop-rock vive um momento importante de sua carreira. Em maio de 2018, lançou o álbum Safe In The Arms Of Time, o primeiro em 13 anos, que conta com as participações de nomes importantes como Graham Nash, Keb’ Mo’, Stan Lynch e Chris Stapleton. Ela define o momento atual de sua carreira e vida de forma muito sábia:
“É tudo sobre a jornada. Às vezes, o caminho é cercado por arco-íris e às vezes está enterrado na lama. Ainda estou aqui e ainda tenho muita gratidão por todo o processo de poder fazer música. ”

Em plena turnê de divulgação desse novo trabalho, ela trará músicas deste álbum e vários de seus maiores sucessos no repertório, com uma energia que prova que ela conseguiu superar o trauma da trágica morte de sua irmã Priscilla, com a qual integrou um trio vocal, o Walela.

Em 2015, lançou uma autobiografia, Delta Lady, título que extraiu da música homônima feita em sua homenagem pelo músico Leon Russell e sucesso mundial na voz de Joe Cocker nos anos 1970.

Rita Coolidge nasceu em Lafayetteville, Tenessee (EUA), em 1º de maio de 1945. Sua iniciação musical teve como base a música gospel. Enquanto cursava a universidade, gravava jingles para conseguir pagar os estudos. O trabalho virou uma paixão, e a levou a se decidir por mergulhar na carreira musical.

Ela foi convidada a participar do grupo Delaney & Bonnie and Friends no final dos anos 1960, e foi com eles que conheceu nomes importantes do rock com os quais gravaria backing vocals, entre eles Eric Clapton (no grande hit After Midnight) e Stephen Stills (Love The One You’re With, outro clássico do rock). Também trabalhou com Jimi Hendrix, Graham Nash, Leon Russel e Joe Cocker.

Ela participou da lendária turnê Mad Dogs And Englishmen, liderada pelo cantor britânico Joe Cocker, e no álbum ao vivo gravado durante os shows brilhou ao interpretar Superstar, de Leon Russell. Também inspirou uma das personagens do incrível rock Cowboy Movie, um dos destaques do primeiro álbum solo de David Crosby, If I Could Only Remember My Name (1971).

De 1973 a 1980, foi casada com o também consagrado ator, cantor e compositor Kris Kristofferson, com quem lançou três álbuns- Full Moon (1973), Breakaway (1974) e Natural Act (1978), que proporcionaram a eles dois troféus Grammy, o Oscar da música.

A carreira-solo, que mantinha paralelamente aos outros trabalhos, teve início em 1971 com o lançamento de um elogiado álbum autointitulado. Versátil, ela nunca se ateve a um único estilo musical, misturando rock, soul, pop, country, gospel, jazz, blues e até reggae em sua sonoridade.

Em 1977, ao lançar seu sexto trabalho individual, Anytime…Anywhere, enfim fez sucesso por conta própria, com o estouro da sua releitura para o clássico de Jackie Wilson, (Your Love Has Lifted) Higher and Higher. Logo a seguir, o álbum Love Me Again (1978) a ajudou a se firmar de vez como uma das vozes mais populares da cena pop mundial.

Nessa época, Rita virou uma espécie de presença obrigatória em trilhas de novelas globais, sempre com músicas que se tornavam grandes hits no Brasil. Fizeram muito sucesso por aqui We’re All Alone (O Astro, 1977), You (Pecado Rasgado, 1978), Love Me Again (Sinal de Alerta, 1978), I’d Rather Leave While I’m In Love (Chega Mais, 1980) e All Time High (Eu Prometo, 1983).

Por sinal, All Time High foi gravada, escrita e lançada originalmente como tema principal do filme Octopussy (1983), da franquia James Bond, tarefa para a qual só são escolhidos nomes do porte de Paul McCartney, Carly Simon, Shirley Bassey, Duran Duran, A-ha e Adelle. Bem acompanhada a moça, heim?

Em 1983, mostrando sua versatilidade e abertura para novos trabalhos alheios, ela lançou o álbum Never Let You Go, no qual releu com grande categoria hits então recentes de nomes da nova geração como Culture Club (Do You Really Want To Hurt Me), Squeeze (Tempted), Joe Jackson (Fools In Love) e Ian Dury (Stop Wasting Your Time).

You– Rita Coolidge:

Luiz Ayrão revisita seus hits e clássicos alheios em São Paulo

luiz ayrao-400x

Por Fabian Chacur

Luiz Ayrão é um artista cujo currículo é dos mais responsáveis. Começou a ser conhecido no cenário musical como compositor, e nos anos 1970 tornou-se um dos grandes nomes da nossa música popular. Ele será a atração nesta sexta-feira (14) às 21h30 em São Paulo no Sesc Belenzinho- Comedoria (rua Padre Adelino, nª 1.000- Belenzinho- fone 0xx11-2076-9700), com ingressos de R$ 6,00 a R$ 20,00. Ele será acompanhado pela banda Catedral do Samba, composta por seis músicos.

Nascido no Rio de Janeiro em 19 de janeiro de 1942, este cantor, compositor e músico tirou a sorte grande ao ter músicas como Nossa Canção e Ciúme de Você gravadas por ninguém menos do que Roberto Carlos, quando o Rei vivia o seu auge na era da Jovem Guarda, na segunda metade dos anos 1960. Tendo como marca o romantismo, ele passou a fazer sucesso com sua própria (e ótima, por sinal) voz nos anos 1970, graças a hits marcantes como Porta Aberta, Bola Dividida, Lencinho e Os Amantes, canções que provam ser ele um legítimo precursor do pagode romântico dos anos 1990.

No show em São Paulo, Ayrão dará uma geral em seus principais sucessos, e também abrirá espaços para composições alheias de nomes acima de quaisquer suspeitas em termos de qualidade, entre os quais Tim Maia, Ataulfo Alves, Noel Rosa e Dorival Caymmi. Entre uma canção e outra, ele, com sua simpatia e carisma, relembrará de passagens de sua extensa carreira envolvendo grandes nomes da MPB, episódios que descreveu em seu livro Meus Ídolos e Eu.

Bola Dividida– Luiz Ayrão:

Phil Collins terá dois álbuns ao vivo relançados pela Warner

Serious_Hits..._Live!-400x

Por Fabian Chacur

Dando prosseguimento à série de relançamentos da discografia solo de Phil Collins, a Warner Music anuncia para fevereiro de 2019 mais dois itens que voltarão ao mercado, desta vez em versões remasterizadas e nos formatos físicos e digitais. São os álbuns ao vivo Serious Hits…Live! (1990) e A Hot Night In Paris (1999), este último na verdade um trabalho creditado à The Phil Collins Big Band. Ambos terão o selo Atlantic-Rhino, e são excelentes.

Serious Hits…Live! flagra o consagrado cantor, compositor e músico britânico no auge de sua carreira solo, durante uma turnê mundial que durou de fevereiro a outubro de 1990 e divulgou o álbum …But Seriously (1989), um dos melhores do astro pop. O repertório traz versões matadoras de Something Happened On The Way To Heaven e Don’t Forget My Number, além de megahits do calibre de Another Day In Paradise, In The Air Tonight e One More Night. Ele é acompanhado por uma super banda de 11 músicos, entre os quais os brilhantes Leland Sklar (baixo), Daryl Stuemer (guitarra) e Arnold McCuller (vocais de apoio).

A The Phil Collins Big Band existiu entre 1996 e 1998, e foi a realização de um antigo sonho de Collins, que sempre se declarou fã das big bands jazzísticas de Count Basie, Duke Ellington e do baterista Buddy Rich. Composta por 20 músicos, traz o músico britânico dedicando-se exclusivamente à bateria, tocando versões instrumentais de hits do Genesis e de sua carreira-solo, além de covers como Milestones (Miles Davis) e Pick Up The Pieces (matador hit setentista da banda funk Average White Band), e uma composição bem bacana do saxofonista da banda, Gerald Albright (Chips & Salsa).

Confira as faixas de Serious Hits… Live!:

1. ‘Something Happened On The Way To Heaven’
2. ‘Against All Odds (Take A Look At Me Now)’
3. ‘Who Said I Would’
4. ‘One More Night’
5. ‘Don’t Lose My Number’
6. ‘Do You Remember?’
7. ‘Another Day In Paradise’
8. ‘Separate Lives’
9. ‘In The Air Tonight’
10. ‘You Can’t Hurry Love’
11. ‘Two Hearts’
12. ‘Sussudio’
13. ‘A Groovy Kind of Love’
14. ‘Easy Lover’
15. ‘Take Me Home’

Confira as faixas de A Hot Night In Paris:

1. ‘Sussudio’
2. ‘That’s all’
3. ‘Invisible Touch’
4. ‘Chips & Salsa’
5. ‘Hold On My Heart’
6. ‘I Don’t Care Anymore’
7. ‘Milestones’
8. ‘Against All Odds’
9. ‘Pick Up The Pieces’
10. ‘The Los Endos Suite’

Serious Hits…Live- Phil Collins:

Yellow Submarine será exibido em Sampa com entrada gratuita

yellow submarine-400x

Por Fabian Chacur

Se você é beatlemaníaco ou fã de cultura pop (ou as duas coisas) e mora em São Paulo, uma ótima notícia. Neste sábado (8), às 17h, será exibido o filme Yellow Submarine (1968), de George Dunning e estrelado por aquele célebre grupo de Liverpool. Detalhe: com resolução digital 4K e trilha remixada em surround 5.1 stereo. E melhor: com entrada gratuita. O local será o Cine Olido (avenida São João, nª 473- República- fone 0xx11-2899-7370).

Lançado em plena era psicodélica, esta animação em longa-metragem tem como cenário Pepperland, uma cidade repleta de cores, música e muito amor. Até que são invadidos pelos abomináveis blue meanies. Como salvar a pátria? Simples: chamando John, Paul, George e Ringo, que, viajando em um adorável submarino amarelo, incumbem-se de vencer os inimigos e restaurar a felicidade antes reinante. Detalhe: com muita música boa na trilha sonora, tipo All Together Now, It’s Only a Northern Song, It’s All Too Much e Yellow Submarine, entre outras. Diversão garantida em 90 viajantes minutos.

Na abertura, será exibido o curta-metragem Make It Soul (2018), ambientado em Chicago em 1965, no Teatro Regal, tendo como mestres de cerimônia e apresentadores ninguém menos do que James Brown e Solomon Burke, dois mestres da black music. São apenas 15 minutos, mas certamente muita coisa boa vai rolar, especialmente em termos musicais.

Essa adorável e bem-vinda exibição gratuita será promovida pelo Animage- Festival Internacional de Animação de Pernambuco, cuja mais recente edição, a 9ª de sua existência, foi realizada em Recife no último mês de outubro, e no qual essa edição incrementada em termos técnicos de Yellow Submarine foi exibida.

Veja o trailer de Yellow Submarine:

David Crosby surpreende com novo CD e um documentário

david crosby-400x

Por Fabian Chacur

No incrível frescor de seus 77 anos de idade, David Crosby mostra estar mais produtivo do que nunca. Em outubro, lançou nos EUA o álbum Hear If You Listen, trabalho colaborativo ao lado dos músicos Michael League, Becca Stevens e Michelle Willis, seu quarto álbum em cinco anos. De quebra, será exibido pela primeira vez em janeiro de 2019, no festival de cinema Sundance, realizado anualmente em Park City, Utah (EUA), o documentário David Crosby: Remember My Name. Ufa!

Com direção a cargo do oscarizado diretor e jornalista Cameron Crowe (Quase Famosos, Jerry Maguire a Grande Virada), David Crosby: Remember My Name dá uma geral na incrível trajetória do lendário cantor, compositor e músico americano. Em entrevista à ABC Radio (EUA), ele comentou sobre o filme:

“Cameron me conhece muito bem, e é um ótimo entrevistador e um cara muito esperto. Ele me fez perguntas bem difíceis que eu respondi o mais honestamente que eu humanamente pude”. Ao contrário de outras atrações do gênero, Crosby garante que seu documentário tem poucas aparições de músicos e amigos famosos, com uma exceção: Roger McGuinn, seu parceiro nos Byrds, primeira banda de sucesso da qual fez parte, na década de 1960.

Inédito no Brasil, assim como os três álbuns anteriores (leia mais sobre esses trabalhos aqui), Hear If You Listen reúne Crosby com três músicos que marcaram presença nesses recentes CDs, mas que desta vez apareceram de forma mais efetiva, como se fossem uma banda. Eles atualmente fazem alguns shows pelos EUA, divulgando o álbum.

Ouça 1974, do CD Here If You Listen:

Slash voltará ao Brasil para shows com The Conspirators em 2019

slash e banda-400x

Por Fabian Chacur

Para quem é fã do guitarrista Slash, uma notícia das melhores. O músico americano, após ter passado por aqui com a turnê Not In This Lifetime, que marcou seu retorno ao Guns N’ Roses, anuncia que voltará ao Brasil em breve. Será para uma turnê com oito datas que se desenvolverá entre 21 de maio e 3 de junho de 2019. Desta vez, ele estará ao lado da banda Myles Kennedy And The Conspirators, com a qual já lançou três álbuns e cujo som investe no hard rock e seus desdobramentos.

Slash (guitarra e vocais) terá a seu lado Myles Kennedy (vocal principal), Brent Fitz (bateria), Todd Kerns (baixo e vocais) e Frank Sidoris (guitarra-base e vocais). Eles terão como base de seus shows o repertório do álbum Living The Dream, lançado em setembro pelo selo do artista, o Snakepit Records, em parceria com a Warner Music, que traz músicas como The Great Pretender, Driving Rain, The Call Of The Wild, Mind Your Manners e Sugar Cane, entre outras.

Nascido em 23 de junho de 1965, Slash se tornou mundialmente conhecido como integrante do Guns N’Roses. Ele também gravou e fez shows com outras bandas capitaneadas por ele, como Snakepit, Velvet Revolver e agora The Conspirators, com quem já lançou os álbuns Apocalyptic Love (2012) e World On Fire (2014), além do mais recente. Ele marcou presença em trabalhos de artistas como Michael Jackson, Carole King, o grupo Chic e inúmeros outros, sempre com destaque, versatilidade e muita categoria.

Saiba as datas e locais dos shows de Slash no Brasil em 2019:

Data: 21 de maio (terça-feira)
Local/Cidade: Pepsi on Stage – Porto Alegre

Data: 22 de maio (quarta-feira)
Local/Cidade: Stage Music Park / Florianópolis

Data: 24 de maio (sexta-feira)
Local/Cidade: Live Curitiba / Curitiba

Data: 25 de maio (sábado)
Local/Cidade: Espaço das Américas / São Paulo

Data: 27 de maio (segunda-feira)
Local/Cidade: Arena Sabiazinho / Uberlândia

Data: 29 de maio (quarta-feira)
Local/Cidade: local a confirmar / Brasília

Data: 01 de junho (sábado)
Local/Cidade: Classic Hall / Recife

Data: 03 de junho (segunda-feira)
Local/Cidade: Centro de Convenções do Ceará / Fortaleza

The Great Pretender (clipe)- Slash:

Boca Livre mostra hits e algumas novidades ao vivo em São Paulo

boca livre 2018-400x

Por Fabian Chacur

Há exatos 40 anos na estrada, o Boca Livre construiu uma trajetória impecável, consolidando-se como um dos grandes grupos vocais da história da nossa música. Para celebrar essas quatro décadas de estradas, o quarteto prepara um novo álbum de estúdio. Enquanto isso não ocorre, o público paulistano poderá conferir em primeira mão algumas das músicas que estarão nesse disco, assim como aqueles hits maravilhosos habituais. Será nesta sexta (30) e sábado (1º-12) às 21h30 no Tupi Or Not Tupi (Rua Fidalga, nº 360- Vila Madalena- fone 0xx11-3813-7404), com ingressos a R$ 140,00.

O primeiro álbum do Boca Livre, autointitulado, saiu em 1979 pela via independente, e logo tornou-se um fenômeno de vendagens, conseguindo tocar em rádios e os levar a apresentações em emissoras de TV. Isso, fazendo uma sonoridade própria, uma mistura de folk, country, MPB em suas várias tendências e muito mais, com direito a vocalizações simplesmente sublimes. Quem Tem a Viola, Toada, Mistérios, as músicas desse álbum tomaram rapidamente conta das paradas de sucesso. No peito e na raça.

Nesses anos todos, o quarteto se manteve sempre ativo. A atual formação é a sua mais constante, trazendo os fundadores Mauricio Maestro (baixo e vocal), Zé Renato (violão e vocal) e David Tygel (viola de dez cordas e vocal), e Lourenço Baeta (vocal), que entrou no time logo em 1980, substituindo Cláudio Nucci. Fernando Gama também esteve no grupo durante as décadas de 1990 e 2000, sendo que a atual escalação se mantém estável desde 2006.

Além dos hits, os citados e possivelmente Panis Et Circenses e Bicicleta, o Boca Livre também fará uma prévia de algumas faixas do próximo trabalho, que deverá ser intitulado Viola de Bem Querer, nome de uma das faixas que o integrarão. Também estarão no trabalho Vida da Minha Vida e Amor de Índio, esta última um clássico do repertório de Beto Guedes. Será o sucessor de seu mais recente CD, o elogiado Amizade (2013).

Quem Tem a Viola- Boca Livre:

Older posts Newer posts

© 2019 Mondo Pop

Theme by Anders NorenUp ↑